Acolhimento a viúvas e viúvos: seg. a sexta das 08h às 12h
Rua Barão de Paranapanema, n. 146, Bloco B, Sala 62, Bosque, Campinas - SP

Depoimento Lindy

A minha história é de muito amor, muita luta, desafios, aceitações e superação. Meu nome é Lindy e me apaixonei muito nova pelo Mozaniel. Foi amor à primeira vista. Meu primeiro homem e com quem eu achei que ficaria junto até o final da minha vida.

Nos casamos em 11 de janeiro de 1997. Após dois anos de namoro, descobri que estava grávida. Minha família não aceitou bem, um horror. Somos do interior da Bahia, Jaguaquara, e naquela época meu noivo, já tinha aberto uma filial da loja da família dele em Valença, com intenção de nos sustentar após o casamento, que já havia sido combinado. Beatriz, nossa filha nasceu em 30 de maio do mesmo ano, dois dias após o aniversário do pai que era em 28 de maio.

Foi uma gravidez linda. Ele cuidava de cada detalhe, comprou a primeira roupinha de bebê, foi o tempo mais feliz de minha vida. Ele era o marido que sempre sonhei. Como eu já estava grávida não tivemos lua de mel e fiquei na expectativa, para depois que o bebê que crescesse um pouco.

Nosso primeiro natal casados era de grande expectativa. Bia era a neta primogênita de ambas as famílias e foi muito aguardada. Na tarde de 25 de dezembro de 1997 eu fiquei com minha família e ele foi para uma cachoeira com a família dele. Neste mesmo dia ele foi me buscar na casa do meu irmão e quando íamos encontrar com a  nossa filha ele sofremos uma acidente automobilístico, comigo não aconteceu nada, mas o corpo dele foi jogado pra fora e bateu muito forte a cabeça.

Com o acidente ele perdeu a memória e se esqueceu de mim, da nossa história, do nosso amor. Neste momento vivi o meu primeiro luto, foi como se todos os meus sonhos tivessem ido embora. Foram momentos muito difíceis, nem os médicos acreditavam na recuperação dele.

Fui aconselhada a me divorciar dele, pois tudo tinha mudado, passei a ser uma estranha para o meu marido, mas meu amor era muito grande e decidi ficar ao lado dele, cuidei, amei, fiz tudo que pude e devagar a memória voltou.

Infelizmente ele não era mais o mesmo, ele se tornou outro homem, o tempo passou e ele adquiriu muitos vícios, que fizeram com que sua saúde se degradasse, e 20 anos depois uma pancreatite o levou embora.

Vivi o luto pela segunda vez e esse sem dúvidas doeu muito mais, com ele veio a concretização de todos os sonhos frustrados, da vida que sonhei e que nunca existiu, todas as inseguranças que a situação de viuvez traz para uma pessoa.

Hoje já se passaram quase 4 anos da morte do meu marido e minha gratidão a Deus é muito grande. Sou grata a Deus por ter vivido 20 anos com ele, por ter amado incondicionalmente, apesar de todos os problemas que enfrentei, mas principalmente por este amor ter nascido a nossa filha Bia, que é um presente em minha vida.

Agora sigo minha vida, um dia de cada vez, na certeza que Deus sempre faz o melhor para todos nós e que tudo que vivemos tem um propósito.

Etiquetas:

  • R. Barão de Paranapanema, n. 146, Bloco B, Sala 62, Bosque, Campinas - SP
  • (19) 99304-2682 ou (19) 3368-4710
  • contato@acolhecomamor.com.br
  • Devido a pandemia não temos atendimento presencial, somente on-line